Artigo em periódico, Música em Perspectiva, 2013

A classificação timbrística através de seus aspectos sinestésicos

Por: José Fornari
Palavras-chave: Timbre, Sinestesia, Taxonomia

O timbre musical é conhecido pela sua inefável caracterização. No entanto, a percepção auditiva é capaz de analisá-lo. A cognição humana consegue identificar, reconhecer e relembrar uma infinidade de timbres distintos, desde os da voz humana, até os timbres dos instrumentos musicais. Porém, sua taxonomia normalmente esvaece frente às tentativas de catalogar seus aspectos estruturais independentes. Para isso, valem-se os músicos e os sonoplastas de uma classificação baseada em predicados de outros sentidos humanos, como os sentidos da visão e do tato. Desse modo, classificam os timbres através de aspectos cujos predicados não advêm do sentido da audição. Este trabalho pretende investigar alguns desses aspectos do timbre que são comumente utilizados no meio musical, e que advêm primordialmente da sensação visual e táctil. Estes foram aqui chamados de aspectos sinestésicos. Foram realizados três experimentos de classificação de aspectos sinestésicos do timbre musical. O último (e mais abrangente) experimento envolveu a participação de 40 voluntários que classificaram 16 amostras sonoras de instrumentos musicais em cinco aspectos sinestésicos distintos. Os resultados alcançados são aqui apresentados, explicados e discutidos.

Synaesthetic aspects of musical timbre taxonomy

Musical timbre is known for the ineffability of its classification. Nevertheless, auditory perception is capable of analyze it. Human cognition is able to identify, recognize and remember a myriad of distinctive timbres, since from the human voice till the ones of musical instruments. However, this taxonomy usually evanesces when trying to classify their independent aspects. For that, musicians and sound designers borrow a classification from other human senses, such as vision and touch. This way they classify timbre aspects with features that don't come from the auditory experience. This work aims to study some of these aspects commonly used in music business, the ones who are mostly associated with visual and tactile sensations. They are here called synaesthetic aspects. This work presents 3 experiments on the classification of synaesthetic aspects of musical timbre. The last and broader one involved the participation of 40 volunteers that listened to 16 sound samples and classified them in terms of 5 synaesthetic aspects. The results are here presented, explained and discussed.

CategoriaMúsica em Perspectiva
Ano
Por
IdiomaPortuguês
Link
TipoArtigo em periódico
CódigoPERSP2013N1A3
Notificar ao Amplificar um problema sobre este texto (PERSP2013N1A3)