Estilo segundo um gosto nacional: os estilos italiano e francês como modelos e juízes do bom gosto da música setecentista
Artigo em periódico, Música Hodie, 2016

Estilo segundo um gosto nacional: os estilos italiano e francês como modelos e juízes do bom gosto da música setecentista

Por: Noara Paoliello
Palavras-chave: Estilo musical, Formação do gosto musical, Gosto nacional, Música setecentista

Este artigo investiga as principais discussões setecentistas sobre estilos nacionais e formação do bom gosto na música a fim de compreender questões centrais para a prática musical conhecida atualmente como historicamente orientada. Para tanto, utiliza-se como referencial teórico fontes primárias do séc. XVIII assim como fontes secundárias que resgatam questões relativas ao estilo musical setecentista. É notável nas obras de autores como Mattheson (1713) e Quantz (1752) a preocupação com a formação do gosto musical – ainda que essas obras fossem tratados de música prática. Através dos textos de época, conclui-se que os conhecimentos do músico de bom gosto iam muito além das habilidades técnicas, sendo o entendimento das características de cada estilo nacional uma das habilidades fundamentais – seja no tocar ou no compor.

Style according to national taste: italian and french styles as models and judges of good taste in eighteenth century music

This article investigates the main discussions about national styles and the formation of good taste in music in order to understand central issues to the musical practice known today as historically oriented. The theoretical references used are primary sources of eighteenth-century as well as secondary sources that rescue issues related to eighteenth-century musical style. It is remarkable in the works of writers such as Mattheson (1713) and Quantz (1752) the concern with the formation of musical taste – although these works were treaties about practical music. Through texts from the period, it is concluded that the knowledge of the musician with good taste went far beyond technical expertise, and the understanding of the characteristics of each national style was one of the fundamental skills – whether in playing or composing.

Estilo según un gusto nacional: estilos italiano y francés como modelos y jueces del buen gusto de la música sietecientista

Este artículo investiga las principales discusiones sobre estilos nacionales y formación del buen gusto en la música para comprender las cuestiones centrales de la práctica musical conocido hoy en día como históricamente orientada. Por lo tanto, se utiliza como referencial teórico fuentes primarias de del siglo. XVIII, así como fuentes secundarias que se ocupan de cuestiones relacionadas con el estilo musical del siglo XVIII. Es notable en las obras de autores como Matthenson (1713) e Quantz (1752) la preocupación con la formación del gusto musical – aunque estas obras fuesen tratados de música práctica. Através de los textos de época se concluye que los conocimientos del músico de buen gusto iban más allá de las habilidades técnicas, siendo el entendimiento de las características de cada estilo nacional una de las habilidades fundamentales – sea en el tocar o en el componer.

CategoriaMúsica Hodie
Ano
Por
IdiomaPortuguês
Link
TipoArtigo em periódico
CódigoHODIE2016V16N1A10
Notificar ao Amplificar que este texto não está disponível (HODIE2016V16N1A10)