Dissertação de Mestrado, UnB, 2011

Cover: performance e identidade na música popular de Brasília

Considerado por muitos como não autêntico, o cover é prática musical de muitos grupos. Ele é entendido como a ação de executar ou gravar novamente uma composição já existente, mantendo-se fiel a gravação original. Aparece fazendo paródia, novos arranjos e versões para outra língua. Está relacionado com o desenvolvimento dos mecanismos de reprodutibilidade da música, com a maneira como o intérprete imprime sua identidade e com as reações do público a inovações ou fidelidade ao original. O termo é atual, mas sua prática é bem mais antiga, quando o acesso à performances só era possível ao vivo. Instrumentistas e cantores que imitavam os artistas de sucesso da música popular tinham seu público e salários garantidos. Tendo como base duas bandas brasilienses que fazem cover dos Beatles, esta dissertação observa a maneira como se dá esta prática e como ela contribui para a construção da identidade musical brasiliense. O texto apresenta uma introdução que justifica a escolha do objeto de estudo. Em seguida, uma definição para a palavra cover comprova que esta prática não é tão recente quanto se imagina e que ela faz parte tanto do universo da música popular quanto da de concerto. Está presente na formação profissional dos músicos. O referencial teórico é abordado para conduzir a análise dos resultados. Por meio de uma metodologia focada basicamente nas pesquisas da área da História Oral e das Ciências Sociais relacionadas à memória, comprovamos com os entrevistados escolhidos as hipóteses levantadas ao longo do trabalho. A breve descrição de uma apresentação realizada por um desses grupos exemplifica os aspectos que envolvem essa prática. Por fim, as considerações finais concluindo que o cover também é um estágio necessário para a criação de obras originais.

Considered by many people as not authentic, cover is one of the practice of many musical groups. It‟s understood as an action to perform or record again an existing composition, remaining accurate to the original recording. It emerges when making parody, new arrangement and other idiomatic versions. It is related to the development of the mechanisms of reproducibility of music, with the way the artist demonstrates his/her identity and with the audience reactions to innovations or fidelity to the original piece. The term is current, but its practice is much older, when access to performance was only possible to live presentations. Instrumentalists and singers who imitated successful artists in popular music had its guaranteed audience and wages. Considering two Brasília Beatles cover bands, this dissertation deals with the way that practice occurs and how it contributes to the construction to the city musical identity. Initially, we justify the choice of the research subject. Then, a definition for the word “cover” demonstrates that this practice is not so recent as one could imagine and it is part of both the worlds of popular music concert music. It‟s present in the professional training activity of musicians. The theoretical framework approach is devoted to conduct the study resulting analysis. Through a methodology focused primarily on research in the area of oral tradition and Social Sciences related to memories, we have comproved through interviews with selected people in the area the basic assumptions of the work. A brief description of a presentation by one of those groups exemplifies the aspects surrounding this practice. Finally, we present remarks concluding that the cover is also a necessary stage for the creation of original works.

CategoriaUnB
Ano
Por
IdiomaPortuguês
Link
TipoDissertação de Mestrado
CódigoUNB2011D2
Notificar ao Amplificar um problema sobre este texto (UNB2011D2)