O Amplificar está com novo layout. Se você encontrar algum problema, por favor entre em contato.
A hibridação do Brazilian Jazz e o processo de modernização do país na década de 1980
Comunicação oral, SIMPOM, 2016

A hibridação do Brazilian Jazz e o processo de modernização do país na década de 1980

Por: Deborah Weiterschan Levy
Palavras-chave: Brazilian jazz, Hibridação, Modernização

A produção de música instrumental que encontrou campo fértil para florescer no eixo Rio-São Paulo na década de 1980 por uma geração de músicos que lançou mão da mistura de elementos de gêneros norte-americanos – do jazz em sua grande maioria, mas também do blues, do funk e do soul – com elementos de gêneros brasileiros em suas composições, fez surgir uma música hibridizada, aqui denominada de Brazilian Jazz. Essa denominação guardaria em si a chave para um entendimento mais aprofundado a respeito de processos sócio-culturais e econômicos do país, localizados dentro do contexto da modernização latino-americana das décadas de 1980 e 1990, na medida em que seu entendimento é controverso dentro e fora do país. A análise toma como ponto de partida a primeira participação de um grupo brasileiro no Festival de Montreux, Suíça, em 1977 - o grupo Azymuth - e as relações entre a escolha do grupo e o mercado cultural da época. Será analisado como o jazz, gênero nascido em finais do séc.XIX em Nova Orleans, EUA, foi usado para legitimar uma música frente a um novo mercado, cerca de 80 anos depois, no Brasil. A intenção é a de acender uma luz sobre um período da música instrumental brasileira, pouquíssimo estudado no âmbito acadêmico. Como suporte teórico, será tomado como base o trabalho de Nestor Garcia Canclini sobre a hibridação e a modernização da América Latina, “Culturas híbridas - estratégias para entrar e sair da modernidade” e o conceito de campo artístico, de Pierre Bourdieu.

The Hybridization of Brazilian Jazz and the Process of Modernization of the Country in 1980 Decade

The production of instrumental music that has found fertile ground to flourish in Rio and São Paulo in the 1980s by a generation of musicians who made use of the mixture of elements of American genres - from jazz mostly, but also funk and soul - with elements of Brazilian genres in his compositions, brought about a hybridized music, here called Brazilian Jazz. That designation would keep itself the key to a deeper understanding of the socio-cultural and economic processes in the country, located within the context of Latin American modernization of the 1980s and 1990s, in that his understanding is controversial within and outside the country. The analysis takes as its starting point the first participation of a Brazilian group at the Montreux Festival, France, in 1977 - Azymuth group - and the relationship between the choice of the group and the cultural market of the time. Will be analyzed as the jazz genre born in the late XIX century in New Orleans, USA, was used to legitimate a front music to a new market, some 80 years later in Brazil. The intent is to shine a light on a period of Brazilian instrumental music, very little studied in the academic environment. As theoretical support, will be taken based on the work of Canclini about hybridization and modernization in Latin America, "Hybrid cultures - strategies for getting in and out of modernity" and the concept of artístico field, of Pierre Bourdieu.

CategoriaSIMPOM
Ano
Por
IdiomaPortuguês
Link
TipoComunicação oral
CódigoSIMPOM2016C78
Notificar ao Amplificar que este texto não está disponível (SIMPOM2016C78)